Postagem em destaque

Linguagem: quando é preciso consultar um fonoaudiólogo?

Especialistas explicam quais sinais indicam atrasos na fala A maior parte das crianças começa a falar por volta dos 12 meses....

sábado, 12 de setembro de 2009

A importância da amamentação na relação mãe e bebê


Desde o inicio dos tempos a amamentação é uma atividade utilizada por todas as mulheres do mundo e por isso deve-se ter um cuidado e uma atenção especial na relação mãe e bebê. A amamentação é uma atividade básica que preenche todas as necessidades nutricionais da criança, em seus primeiros meses de vida, o leite é o grande eixo para a harmoniosa interação mãe/filho.




A amamentação realizada diretamente no seio é um grande facilitador para o desenvolvimento da musculatura facial da criança, e, resulta em uma diminuição de infecções do aparelho respiratório durante o período neonatal.




A amamentação diretamente no seio diminui o número de cáries nos dentes das crianças e conseqüentemente diminui as más oclusões dentárias e também proteção imunológica e antialérgica.




O uso da mamadeira deve ser usada apenas quando por algum motivo não puder ser dado o leite através do seio. Nos primórdios dos tempos não existia mamadeira a dificuldade das mães era imensa em relação à nutrição de seus bebês. A modernidade acaba trazendo condições e tecnologias rápidas, práticas e que muitas vezes acabam provocando alterações adversas. Muitas mães decidem contribuir para a renda familiar em casa, muitas vezes esta situação impossibilita a mãe de aleitar adequadamente e vê-se obrigada a introduzir o uso da mamadeira ainda nos primeiros meses de vida do bebê.




O benefício do aleitamento não é somente do bebê, mães que amamentam dificilmente apresentam câncer de mama durante a pré-menopausa, assim como alguns tipos de câncer do ovário, menor incidência de fratura de colo de fêmur e contribui também para a perda de peso de maneira natural.




A amamentação pode ser iniciada na sala de parto logo após o nascimento do bebê. É de direito de todas as mães serem devidamente orientadas por toda a equipe de saúde: Fonoaudiólogos, Nutricionistas, Fisioterapeutas, Médicos, Psicólogos, Enfermeiros e outros. Cada profissional irá orientar de acordo com sua conduta profissional em prol do bom desenvolvimento motor, psicológico, funcional e desenvolvimental da criança. O leite materno é o único alimento sem restrições para qualquer bebê.




O ato de sugar deve ser iniciado pelo bebê logo após o nascimento, assim que a mãe insere o mamilo entre os lábios da criança. Caso o bebê não tenha competência de força muscular para sugar o seio deve-se realizar estimulação terapêutica fonoaudiológica, o mais rápido possível.




O ato de sugar o seio da mãe é um grande facilitador para o crescimento dentário, desenvolvimento da articulação e do ato de engolir. O benefício do aleitamento materno traz melhoras nos aspectos psicológicos do desenvolvimento emocional do ser, como base para um bom desenvolvimento da linguagem da saúde do bebê.




Segundo a organização mundial da saúde, a duração ideal do aleitamento materno é exclusivo até 6 meses, mas, pode-se prolongar até quando a mãe produzir leite. Sempre que a mãe for amamentar deve oferecer os dois seios, facilitando assim uma adaptação posicional múltipla.A alimentação deverá ser introduzida a partir do sexto mês. Pode-se ser oferecido alimento antes de seis meses somente se o bebê possuir habilidades motoras orais e com orientação profissional após avaliação da criança, esta orientação deve ser realizada quanto aos seguintes aspectos: pastosidade, quantidade, qualidade, horário e outros. Desta forma, a mãe garante uma melhor qualidade de vida para si mesma e para seu bebê através do aleitamento adequado e realiza o ato de amamentar com vontade e ânimo.




Fonte: Jadson Justi – Fonoaudiólogo Clínico, Jornal Última Hora


Postado por Pati Merlin
Marcadores: Benefícios da Amamentação

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Clarice Lispector

...agora preciso de tua mão, não para que eu não tenha medo, mas para que tu não tenhas medo. Sei que acreditar em tudo isso será, no começo, a tua grande solidão. Mas chegará o instante em que me darás a mão, não mais por solidão, mas como eu agora: POR AMOR...

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Linguagem e pensamento

Aquisição da Linguagem

A linguagem, segundo estudiosos, é uma função inata que permite ao indivíduo simbolizar o seu pensamento e decodificar o pensamento do outro. Através dela facilita-se a troca de experiências e conhecimentos, interferindo na percepção da realidade.
A origem da linguagem é resultado de um processo de socialização do ser humano, que é estimulado pelo meio em que se vive, no qual ocorre a adequação dele e a transformação, proporcionando associações das diferentes áreas sensitivas, perceptivas e motoras.
O pensamento precede a linguagem, que também é considerada outra forma de pensamento. A etapa das imagens mentais precede a primeira palavra da criança. As imagens mentais, segundo estudiosos, são cópias ativas da realidade que é organizada pelo cérebro.
É de extrema importância que fique bem esclarecido que ao fazer referência da palavra imagem a primeira coisa que vem em mente são as imagens, porém não se restringe aos modelos visuais, considera-se também as auditivas, somestésicas, cinestésicas, etc.
Na medida em que a criança se desenvolve e aprende sobre os indivíduos, linguagem e objetos de forma simultânea, logo em seguida esse se modifica devido à linguagem que sofre algumas influências de outras aquisições.
Primeiramente, se desenvolve a compreensão por volta dos 3 meses, quando a criança já apresenta compreensão das situações e em seguida a expressão. São processos independentes, porém na aquisição do vocabulário, do ponto de vista interno permitida pela expressão, faz com que a compreensão se desenvolva mais.

Por Elen Cristine Campos Caiado
Graduada em Fonoaudiologia e Pedagogia
Equipe Brasil Escola